Parto humanizado no SUS agora é lei: o que é importante saber?

Parto humanizado no sus

Parto humanizado no SUS se tornou lei no final de setembro deste ano, e com isso as maternidades e casas de parto administradas pelo Sistema Único Saúde podem melhor atender as mamães

Recentemente, no dia 25 de setembro, o parto humanizado no SUS se tornou lei. Antes de chegar a este status, a mãe que optasse por esta forma de parto tinha que pagar uma enorme quantia. Ou ainda quem tivesse plano de saúde dependia do convênio liberar ou não este procedimento.

Parto humanizado no SUS

Portanto, o projeto de lei se consolida em uma vitória, pois é muito melhor o parto humanizado público. Além disso, cabem às gestantes ficarem de olho se todas as determinações da legislação vigente serão cumpridas de fato.

O que é Parto Humanizado?

Não há uma definição exata do que é de fato o parto humanizado. Entretanto, ele é caracterizado como tudo que esteja ligado à forma mais natural do parto. Ou seja, por meio dele existe o contato pele com pele, além do contato imediato entre a mãe e o bebê. Então, acontece um nascimento onde não tenha intervenções desnecessárias. Um exemplo disso é o corte no períneo. Em alguns casos não é preciso realizar este procedimento, mas têm médicos que o realizam. O parto é ideal é aquele que preserva as vontades e a saúde dos envolvidos.

Falta de informação

Além disso, ainda há muita falta de informação em relação ao parto humanizado no SUS ou em maternidades privadas.

Portanto, não é incomum uma gestante relacionar, de forma simplista, este tipo de parto a algo realizando dentro de casa, ou ainda que ele seja feito dentro da água, numa banheira, por exemplo.

Porém, fica difícil essas futuras mamães imaginarem que na verdade o parto humanizado poderia ser realizado com toda qualidade em uma maternidade ou uma casa de parto. Esta iniciativa garantiria um momento especial e confortável tanto para a mãe como para a criança.

O que diz a lei

A recente lei determina que a gestante que dará à luz na rede do Sistema Único de Saúde tem direito a escolher como e de que maneira quer ter seu bebê. Sendo assim, o texto prevê também que a opção da parturiente seja respeitada até o fim.

Há relatos de mães que vivenciaram a experiência do parto cesárea em que elas tomaram anestesia, se deitam e o médico vem retirar o bebê. E na sequência o recém-nascido é levado para ter os primeiros cuidados pós-parto.

Por outro lado, a mãe que esperou 9 meses para ver o rostinho de seu filho ao vivo deseja e muito poder pegá-lo no colo logo, além de pode beijar, abraçar e acariciar. E é disso que trata o parto humanizado, pois por meio dele esta mãe consegue estes direitos logo que seu bebê nasce: e ter o primeiro contato é um deles.

Cesárea Humanizada

Entretanto, também existe a cesárea humanizada. Desta forma a mãe consegue ver seu filho saindo de dentro de sua barriga e ainda pode acariciá-lo. Além disso, a mãe fica o tempo todo com o bebê, o que inclui o pós-operatório, caso não haja nenhuma complicação.

Presença do médico

Em um artigo do site Bebê.Com.Br uma doula chama a atenção também para a importância da presença do médico na hora do parto humanizado. Mas neste caso, ele apenas assiste ao parto e intervém se for necessário ou se ocorrer alguma complicação.Parto

*Foto: Divulgação/Fe.sophia site: https://www.commadre.com.br/o-papel-da-doula-na-pandemia-do-covid-19/

Atendimento Belly Home
Enviar via WhatsApp